Personalidades na Medicina

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Personalidades na Medicina

Mensagem  láudano em Sex Jan 02, 2009 3:44 pm

Caros colegas,

Para quem ainda não conhece aqui fica uma breve descrição do patrono da faculdade médica, Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar.


Abel Salazar (Guimarães, 19 de Julho de 1889 - Lisboa, 29 de Dezembro de 1946) foi um médico, professor, investigador, pintor e resistente ao regime salazarista português que trabalhou e viveu no Porto.

As suas obras artísticas, com referências sociais, antecipam o movimento neo-realista na pintura portuguesa. O reputado Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto presta-lhe homenagem.

Não existe qualquer parentesco com António de Oliveira Salazar, o ditador português.

Biografia
Doutorou-se em Medicina, na Faculdade de Medicina do Porto com 20 valores. Além de professor na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, foi director do Instituto de Histologia e Embriologia, onde fez um valioso trabalho de investigação relativo à estrutura e evolução do ovário.

Abel Salazar foi um convicto anti-fascista, o que lhe valeu a demissão de todos os seu cargos em 1935.

Fonte: Wikipédia


Quem tiver mais sugestões e apresentações...é sempre interessante conhecer mais alguns nomes e personalidades médicas Smile

láudano

Mensagens : 35
Data de inscrição : 30/12/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

António Caetano de Abreu Freire

Mensagem  láudano em Sex Jan 02, 2009 4:00 pm



Biography
(Antonio Caetano de Abreu Freire) Egas Moniz was born in Avanca, Portugal, on November 29, 1874, the son of Fernando de Pina Rezende Abreu and Maria do Rosario de Almeida e Sousa. He received his early education from his uncle Abbé Caetano de Pina Rezende Abreu Sa Freire, before joining the Faculty of Medicine at Coimbra University. He received further education at Bordeaux and Paris and became Professor at Coimbra in 1902. In 1911 he transferred to the new Chair in Neurology at Lisbon where he remained until his death. He also worked for a time as a physician in the Hospital of Santa Maria, Lisbon.

Moniz entered politics in 1903 and served as a Deputy in the Portugese Parliament until 1917 when he became Portuguese Ambassador to Spain. Later in 1917 he was appointed Minister for Foreign Affairs and he was President of the Portuguese Delegation at the Paris Peace Conference in 1918.

Moniz discovered cerebral angiography and prefrontal leucotomy.

Egas Moniz died on December 13, 1955.

Mais informações sobre o Nobel aqui http://nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/articles/moniz/index.html


Como é possível não "termos ganho" também o Nobel pela Angiografia Cerebral ? Shocked

láudano

Mensagens : 35
Data de inscrição : 30/12/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Personalidades na Medicina

Mensagem  MarCosta em Sex Jan 02, 2009 4:14 pm

Tópico muito interessante

Vou falar daquela que é provavelmente a maior figura da medicina da Beira Interior

Falo de Amato Lusitano

João Rodrigues, vulgarmente conhecido como Amato Lusitano, foi um notável médico português de religião judaica que viveu no Século XVI.
Amato Lusitano nasceu em Castelo Branco, Portugal, em 1511, de pais judeus. Estudou Medicina na Universidade de Salamanca, tendo regressado a Portugal em 1529. Por ser judeu, foi impedido de regressar a Portugal devido às perseguições da Inquisição, o que o levou a viajar para Antuérpia (1534), onde publicou o seu primeiro livro Index Dioscoridis (1536). É aí que adopta o nome de Amato Lusitano, com o qual passa a assinar as suas obras.
Viajou por toda a Europa até se estabelecer na cidade de Ferrara (1541) em Itália, onde foi Professor de Anatomia na Universidade e assistente do então famoso Cananus. Aí inicia a escrita da primeira Centúria que dedica a Cosme de Médici.
A instabilidade política e religiosa que então se vivia em Itália levou-o a Roma, onde foi médico do Papa Júlio III, Ancona(1547), Pesaro(1555), mas a intensificação da perseguição anti-semita — com a nomeação do Papa Paulo IV — forçaram-no a abandonar a Itália e buscar refúgio no Império Otomano. Primeiro em Ragusa, actual Dubrovnik, que na altura era uma República Independente e, depois, em Tessalónica, hoje Salónica, Grécia, cidade com grande população judaica; então parte do Império Otomano, onde escreveu a sua sétima e última Centúria, local onde pereceu, em 1569, com 57 anos, vitimado pela peste que tentou combater.

Amato Lusitano foi um poliglota. Dominava o latim, o grego, o hebraico, o árabe, o português, o castelhano, o francês, o italiano, o alemão e, presume-se, o inglês. Max Solomon, um seu biógrafo, considerou-o como «o Homem que representa a Medicina do século XVI, como erudito, anatomista e clínico». Era conhecido e respeitado, privando de perto com importantes personalidades do mundo ocidental.

Obra
Descobriu, enquanto assistente de Canani a circulação do sangue, através de inspecções da veia Ázigos, na qual descreveu também pela primeira vez as válvulas venosas.

Amato Lusitano, foi um dos primeiros médicos a comentar a obra de Dioscórides no século XVI. Escreveu os tratados Index Dioscoridis em 1536,In Dioscorides de Medica materia Librum quinque enarrationis em 1556 e Curationium Centuriae Septem em 1556

As «Centúrias das Curas Medicinais» são, entre as obras que escreveu, um dos seus maiores legados à Humanidade. Escreveu sete «Centúrias», originais em Latim, conhecendo-se 59 traduções em diferentes línguas. Cada «Centúria» apresenta 100 casos clínicos («Curas», como se dizia na época), com descrição exacta do caso, idade do doente, descrição da doença e terapêutica utilizada. Estas reflexões permitem observar o mundo no século XVI para lá dos aspectos meramente médicos: hábitos alimentares, ritmos do quotidiano, guerras e tensões económicas e políticas, hierarquias sociais, abertura às maravilhas do mundo que ia sendo descoberto.

Em 1946, o Instituto Português de Oncologia iniciou, pela primeira vez em Portugal, a edição da obra de Amato Lusitano, traduzida por Firmino Crespo e José Lopes Dias.

Spoiler:
Fonte: wikipedia

O hospital de Castelo Branco tem o seu nome. Hospital Amato Lusitano.

Se quiserem saber mais sobre ele visitem http://www.historiadamedicina.ubi.pt/


Última edição por MarCosta em Sex Jan 02, 2009 4:53 pm, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
MarCosta
Administrador

Mensagens : 127
Data de inscrição : 29/12/2008
Idade : 29
Localização : Vila Nova de Gaia / Covilhã

Ver perfil do usuário http://medstudentsportugal.ativoforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Sousa Martins

Mensagem  lctmz em Sex Jan 02, 2009 4:48 pm

Outro dos nossos "amigos" na UBI e que discutimos em Sociologia e Antropologia é Sousa Martins:
José Tomás de Sousa Martins (Alhandra, 7 de Março de 1843 — Alhandra, 18 de Agosto de 1897) foi um médico e professor catedrático de Medicina da actual Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa. Formado em Farmácia e Medicina trabalhou intensa e na maioria dos casos gratuitamente sobretudo no combate à tuberculose. Orador brilhante, dotado de humor e inteligência, homem de actividade inesgotável e praticante incansável da caridade junto dos mais desfavorecidos, exerceu uma forte influência sobre os colegas de profissão, os alunos e os pacientes que tratou

Nasceu em Alhandra numa casa ribeirinha e tipicamente portuguesa e em Alhandra viveu até completar o ensino primário, estudos possíveis na altura em Alhandra.Tinha doze anos quando, aconselhado pela mãe e já órfão de pai, seguiu para Lisboa.
Em Lisboa, recebeu- o em sua casa o seu tio Lázaro Joaquim de Sousa Pereira, irmão de sua mãe, e já estabelecido há bastante tempo no ramo farmacêutico. Era sua a Farmácia Ultramarina situada na Rua de S. Paulo.Então com doze anos dividiu a sua vida entre o Liceu Nacional de Lisboa, que frequentava de manhã, a Farmácia onde ajudava o tio nas tardes e de noite dedicava- se ao seu estudo.
Com 21 anos, em 1864, termina o curso de farmacêutico com as melhores classificações. E em 1866, apenas contava 23 anos conclui o curso de Medicina com Aclamação, apresentando a sua tese " O Pneumogástrico Preside à Tonicidade da Fibra Muscular do Coração".
Em 1868 foi nomeado por Concurso, Demonstrador da Secção Médica da Escola de Lisboa, tendo sido eleito Sócio da Sociedade de Ciências Médicas.Em 1872 foi designado Lente da escola Médico - Cirúrgica de Lisboa, e em 1874 Médico Extraordinário do Hospital de S. José e nomeado nesse ano Delegado Português na Conferência Sanitária Internacional em Viena.

Muitos foram os cargos que desempenhou, de Secretário e Bibliotecário na Escola Médico - Cirúrgica passando pela Cátedra de Patologia Geral, Semiologia e História da Medicina, de Presidente da Comissão Executiva e Secção de Medicina da Expedição Científica à Serra da Estrela a Director efectivo da Enfermaria S. Miguel no Hospital S. José. Delegado à Conferência Sanitária Internacional de Veneza em 1897, onde foi eleito Vice - Presidente, regressou a Lisboa muito debilitado fisicamente. Com a saúde bastante debilitada e com poucos meses de vida procurou melhoras no Sanatório da Serra da Estrela
(fomos lá!! cheers ), que ele próprio ajudara a criar.
A tuberculose estava então a tomar conta do seu frágil corpo. Na tentativa de se recompor instala-se em Alhandra numa Quinta de amigos.De nada valeu. No dia 18 de Agosto de 1897 Sousa Martins falece vitima de tuberculose
.
Ao tomar conhecimento da sua morte, o rei D. Carlos exclamou emocionado: "Apagou-se a mais brilhante luz do meu reinado". Para Egas Moniz, prémio nobel português, Sousa Martins foi um "notável professor que deixou, atrás de si, um nome aureolado de prelector admirável, de clínico, de orador consagrado, sempre alerta nas justas da Sociedade das Ciências Médicas".

O principal hospital da cidade da Guarda tem o nome de Hospital Sousa Martins, em homenagem ao trabalho pioneiro de Sousa Martins sobre a tuberculose e climoterapia que conduziu à promoção da Serra da Estrela como área propícia à instalação de sanatórios para o tratamento de tuberculosos.

lctmz
Administrador

Mensagens : 101
Data de inscrição : 29/12/2008
Idade : 27
Localização : Braga

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Prémio Seeds of Science «Consagração» para Alexandre Quintanilha, Mário Barbosa e Sobrinho Simões

Mensagem  láudano em Sab Jan 03, 2009 6:30 am

Professores das faculdades médicas da Universidade do Porto, consagrados...


Alexandre Quintanilha

Mário Barbosa

Sobrinho Simões

O Prémio «Consagração» dos «Seeds of Science» - distinções atribuídas anualmente pelo Ciência Hoje a investigadores que se destacam no panorama da Ciência - vai ser entregue em 2009 a Alexandre Quintanilha (ICBAS - IBMC), director do Instituto de Biologia Molecular e Celular, a Mário Barbosa, responsável do Instituto de Engenharia Biomédica, e Manuel Sobrinho Simões(FMUP-IPATIMUP), que lidera o Instituto de Patolologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto.

Criado para galardoar um investigador sénior, o Prémio «Consagração» vai para três cientistas portugueses que o justificariam individualmente. A decisão de premiar os três em simultâneo prende-se com a decisão de juntarem as instituições científicas que dirigem numa nova unidade, o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S). Recorde-se que a cerimónia de assinatura do consórcio teve lugar em 28 de Janeiro de 2008.

«Acabo de regressar ao Porto e de ler a vossa Boa Nova sobre o I3S. A entrada em 2009 não podia ser melhor! Terei muito gosto em estar presente no dia 14 de Março na Figueira da Foz. Muito obrigado pela distinçao que nos quiseram atribuir», escreve Alexandre Quintanilha a propósito da decisão de Ciência Hoje.

Manuel Sobrinho Simões declara, por sua vez: «Muito obrigado pela mensagem e pela boa noticia que agradeço em nome dos IPATIMUPianos e I3Sianos».

Mário Barbosa mostra o seu contentamento salientando o «exemplo» que o I3S pode constituir: «Fiquei muito sensibilizado com a vossa escolha, embora o I3S esteja a dar os primeiros passos. Creio que o mérito é o do exemplo para outros passarem a ver desafios onde talvez ainda sintam medos».

Qualquer destes três nomes é sobejamente conhecido na comunidade científica e mesmo junto do grande público. Eles vêm juntar-se a uma lista de premiados que fará da cerimónia de entrega dos «Seeds of Science» - no dia 14 de Março de 2009 no Casino da Figueira da Foz - uma festa de ciência.

Faltam apenas atribuir os prémios «Exactas» e «Júnior» para ficarem a ser conhecidos todos os que foram distinguidos por Ciência Hoje. Até ao momento foram revelados os seguintes nomes: Instituto Gulbenkian de Ciência (Prémio Divulgação); Elvira Fortunato (Engenharias e Tecnologias); Ricardo Serrão Santos (Ciências da Terra, do Mar e da Atmosfera); Irene Pimentel (Ciências Sociais e Humanas); Cecília Arraiano (Ciências da Vida); Álvaro Macieira-Coelho (Carreira) e Pedro Russo - coordenador global para o Ano Internacional da Astronomia 2009 (Prémio Especial).

láudano

Mensagens : 35
Data de inscrição : 30/12/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Personalidades na Medicina

Mensagem  Eruasemmo em Sab Jan 03, 2009 8:46 am

Dr.Costa Simões - introdutor da Histologia em Portugal

António Augusto da Costa Simões nasceu na Mealhada a 23 de Agosto de 1819. Licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, aos 24 anos, tendo inicialmente exercido medicina em Cinco Vilas e Arega. Foi promotor da construção do Hospital de Avelar, a partir da capitalização sucessiva das esmolas deixadas à Nossa Senhora da Guia, criando um verdadeiro banco rural 150 anos antes do aparecimento da Caixa de Crédito Agrícola.

Em 1848 ingressou como professor da FMUC, tendo proposto em 1859 a criação de uma cadeira sob a designação de Histologia e Physiologia Geral; esta surgiu pela primeira vez em 1863 (6 meses depois da criação de cadeira idêntica na escola médica de Paris por Robin) não só nos curriculos da FMUC mas em qualquer escola médica do país existente até à altura, tendo sido adoptada pelas escolas-médicas cirúrgicas do Porto e Lisboa (mais tarde faculdades) apenas em 1903. Mais tarde, em 1911, a Fisiologia tera sido separada da Histologia, e esta última ampliada com a Embriologia - esta ainda é actualmente a designação da cadeira Histologia e Embriologia.

Na FMUC, o aparecimento desta cadeira levou à criação do Laboratório de Histologia, mais tarde consagrado como Instituto de Histologia e Embriologia, e actualmente chamado de Instituto de Histologia e Embriologia Professor Doutor Costa Simões. Este encontra-se localizado no 2º piso do Pólo I da FMUC (edíficio antigo). Uma das entradas principais deste edifício apresenta ainda um baixo relevo do Dr.Costa Simões.

A história deste senhor não fica por aqui. Foi também Presidente da Camara Municipal de Coimbra, assumindo um importante papel no abastecimento de água canalizada a partir do Rio Mondego; foi o 1º Director dos HUC (1870-1886) e Reitor da UC (1892-1898). Foi-lhe atribuído também o cargo de Administrador dos Hospitais da Misericórdia do Porto, chegando a realizar alguns estudos sobres construções hospitalares.

Em 1881 criou a primeira Escola de Enfermagem em Portugal, actualmente conhecida como Escola de Enfermagem Ângelo da Fonseca (integrada na Escola de Enfermagem de Coimbra).

Eruasemmo

Mensagens : 27
Data de inscrição : 30/12/2008
Idade : 29
Localização : Ermesinde/Alfena e COIMBRA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Personalidades na Medicina

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum